Saber ouvir com a predisposição de entender o que está a ser dito ao invés de criar uma defesa ou desculpa através da resposta, é um verdadeiro desafio devido à difícil gestão da emoção e da razão. No entanto, os que alcançam essa habilidade, terão muitos benefícios e poderão ser excelentes líderes.

Aqueles que alcançam a habilidade de saber ouvir e que procuram entender o que acabaram de escutar, fluem muito mais rapidamente em direcção aos seus objectivos, pois aumentam o seu conhecimento e conseguem aproveitar a força do Motor Humano (a equipa) que têm à sua disposição.

Segundo James C. Hunter, “ouvir é uma das habilidades mais importantes que um líder pode escolher para desenvolver”.

Esta é uma habilidade que se desenvolve com treino, e com a consciência de a querer adquirir. Os líderes que a alcançam, para além de aumentar o seu próprio conhecimento, conseguem envolver as suas equipas, e fazer com que a produtividade dos seus departamentos seja fruto de um trabalho colectivo e não de um esforço individual. O esforço individual, com o passar do tempo, gera cansaço e frustração, e esse cansaço atinge aqueles que mais produzem, pois tendem a comparar o seu esforço, dedicação e compromisso com os demais.

As organizações por vezes falham neste campo, pois normalmente, colocam os seus melhores colaboradores em cargos de liderança, chefiando equipas e esperando deles aquilo para o qual não lhes deram ferramentas nem treino, e, saber ouvir, é sem dúvida uma característica fundamental num líder, onde é preciso investir.

Segundo Stephen Covey “Procura primeiro compreender, depois ser compreendido”

Saber ouvir, cria e aprofunda relacionamentos e permite ao líder exercer influência positiva nas equipas.

As pessoas têm a necessidade de que outros as escutem, e se o líder for um bom ouvinte, ele consegue desenvolver um relacionamento de confiança, permitindo que o procurem. Desta forma pode até exercer influência sobre as pessoas, pela confiança e respeito alcançado.

O líder é sem dúvida, um gatilho para criar o compromisso nos membros da sua equipa.

De acordo com, um estudo da Gallup, estima-se que os colaboradores mais comprometidos são 21% mais produtivos do que os restantes.

No entanto, de acordo com o estudo feito para Portugal:

  • Apenas 19% dos colaboradores se encontram neste intervalo de elevada produtividade, colaboradores realmente comprometidos com a organização e a realizar mais do que é esperado deles

  • Enquanto 65% não estão comprometidos, ou seja, não imprimem nem travam velocidade, realizam apenas aquilo que lhes é solicitado

  • Por fim, 16% está realmente descomprometido, funcionando como ancoras, pesos que abrandam a velocidade do barco e que boicotam a motivação e a velocidade dos restantes.

O inicio de um novo ano é sempre uma altura de assumir novos compromissos e realizar aquilo que não foi feito até então. Desta forma deixo-vos com um desafio:

Que investimento ainda não fez para transformar os seus colaboradores em melhores líderes?

Se achou que este artigo é útil partilhe com a sua rede de contactos.

Para receber mais dicas para motivar a sua equipa entre em contacto comigo através do meu e-mail: elsajorge@engageandgrow.pt